segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Política, voto... Protesto ou ignorância?

A democracia de nosso país não passa de uma ditadura mascarada. Mas o que nos faz pensar que temos direito à democracia?

Passado o primeiro dilúvio de informações em virtude das eleições de 2010, volto a escrever. Permaneci distante para não deixar o lado emocional aflorar e acabar contagiado pela grande quantidade de informação divulgada nos últimos dias e, consequentemente tomado pela revolta, passar a escrever somente sobre política neste espaço.

O segundo turno para as eleições presidenciais vem aí e, contrariando os institutos de pesquisa, o candidato do PSDB, José Serra não está tão distante da, até então favorita, candidata do PT, Dilma Rousseff. Logo mais teremos mais centenas de ataques diretos de um contra o outro, porém dessa vez abastecidos pelos outros concorrentes que não chegaram a essa etapa.

Mas o que eu realmente gostaria de transmitir nesse espaço é a minha revolta com a estupidez do eleitorado brasileiro, que já elegeu tantos representantes sem a menor capacidade de representá-los e continua fazendo isso eleição pós eleição. Não critico somente os palhaços assumidos, que apelam por estratégias duvidosas e acabam ganhando votos por algum motivo que eu sinceramente não consigo entender, me refiro também aos principais personagens, que em suas campanhas não apresentaram propostas inovadoras e sim ataques aos rivais.

Entretanto, os culpados disso tudo somos nós, os eleitores, alguns com alguma consciência política e outros com a ignorância estampada no RG. Aos do segundo tipo, fica registrada a minha INDIGNAÇÃO para aqueles que disseram frases do tipo: "- Já que a eleição está definida, vou votar em quem está na frente, assim acaba a palhaçada logo". Aos do primeiro tipo digo que ainda vale a pena tentar melhorar alguma coisa, pois a mudança só depende de nós.


Outro ponto que vale citar, mas sem delongas é o eleitor que acha que política é brincadeira. O cidadão que pensa dessa forma, provavelmente não quer que esse cenário continue assim. Portanto para acabar com a brincadeira, é necessário que isso seja levado com seriedade.

Pior do que jogar um voto no lixo, é dar o voto para quem não merece. Fica a sugestão para aquele que não faz idéia em quem votar. ANULE O SEU VOTO! Assim o circo ficará com menos palhaços e um dia este circo terá fim, para que talvez façamos nossa democracia valer a pena.


sexta-feira, 30 de julho de 2010

Será que ele estava errado?

Após as discussões, brigas e xingamentos, vamos discorrer sobre a tão falada "frase"

A frase proferida pelo ator Sylvester Stallone, onde ele disse que "no Brasil você pode explodir o país inteiro e eles (os brasileiros), dizem pra você obrigado e tome aqui um macaco pra você levar pra casa", causou revolta e indignação de grande parte da população brasileira. Passado alguns dias, comecei a refletir sobre o caso e cheguei a algumas conclusões.

Nós, brasileiros, temos esse carinho matriarcal pelo país, onde somente nós podemos criticar e, quando vem alguém de fora e critica, é a pior coisa do mundo. Não sou nenhum demagogo e confesso que também não gostei da declaração do ator, que por sinal, admiro. Mas vamos refletir: O Brasil não é isso mesmo?

Aqui todos fazem o que querem e a impunidade reina. A frase dita pelo ator retrata muito bem o que é o Brasil. Creio que a intenção do autor não foi essa, mas não poderia existir uma analogia melhor para descrever o país.

Outro ponto de vista é aquele que diz que recepcionamos muito bem pessoas que não agregam nada ao país. Não estou defendendo a xenofobia, mas é um consenso, o péssimo tratamento dado aos brasileiros que ingressam na maioria dos países do exterior. Penso que devemos recepcionar bem todos, desde que estes agreguem algo ao país. Falo isso de forma geral, não no âmbito turístico, falo também no âmbito comercial etc. Apenas para ilustrar a situação, existem empresas multinacionais que adquirem o financiamento junto ao BNDS, perpetuam o ato exploratório no país e, de retorno, só oferecem a mão de obra para os brasileiros. (Alguma semelhança com a nossa colonização?).


Para finalizar, penso que xingar quem tem esse tipo de atitude não é uma ação patriota e sim uma ação ignorante, pois parte do princípio de que "aqui está errado, mas não venha criticar". Serão necessários quantos estrangeiros para criticarem o país e a população ver que muito do que é dito tem seu fundo de verdade. Eu sou um brasileiro que vejo o que está de errado e quero mudar. E você?

terça-feira, 27 de julho de 2010

Qual é o seu time de todos os tempos?

Desta vez estou disposto a discorrer sobre um assunto mais leve. Sei que podemos cometer injustiças e esquecer alguns nomes, mas vale a pena...

Como já é de costume, foi conversando com amigos que surgiu a idéia de falar sobre futebol e sobre a criação de um time de todos os tempos que eu vi jogar. A idéia é criar uma interatividade e traçar diferentes pontos de vista sobre esse esporte que nós brasileiros amamos tanto.

O momento é oportuno, tendo em vista que um novo técnico, Mano Menezes, ex-treinador do Corinthians, assumiu a Seleção Brasileira e já fez sua primeira convocação, incluindo na lista, alguns nomes contestados como o do meia Jucilei, do Corinthians e do atacante André, do Santos. Penso que ambos são bons jogadores, mas existem pelo menos 5 na frente dos dois e nomes como os de Denilson, do Arsenal e Kleber, do Palmeiras não deveriam ficar de fora.

Enfim, chega de falar somente da Seleção Brasileira e vamos falar do que me propus anteriormente. Vou colocar a escalação de todos os tempos do meu time, São Paulo Futebol Clube.

São Paulo F.C. 4-3-3

Rogério Ceni
Vítor
Lugano
Miranda
Serginho
Pintado (batia até na mãe)
Cerezo
Raí
Denilson
França
Luis Fabiano

Lembrando, só valem os jogadores que vimos atuar nos clubes e/ou na seleção... Qual é o seu time de todos os tempos?

Resposta do blogueiro: O Mineiro jogou muita bola, mas o Pintado apavorou o Laudrup na final contra o Barcelona em 1992 e, como todos sabem, esse Laudrup jogava muita bola, mais do que o Gerrard, anulado pelo Mineiro em 2005.





sexta-feira, 16 de julho de 2010

Sem pé, mas com cabeça

Depois de alguns dias sem idéias, estou aqui novamente para falar sobre... bom, ainda não estou bem certo...

Não, não estou "avacalhando" o blog, apenas devo estar sentindo falta das vuvuzelas. Confesso que fiquei viciado em copa do mundo, mas essa abstinência vai passar, pois logo logo, a nossa mídia vai fabricar novamente outro assunto e ocupar nossa cabeça para que continuemos como parasitas em frente à televisão, não fazendo nada para mudar o que existe de ruim em nosso país.

Não pretendo fazer uma análise da mídia, já que seria redundante bater na tecla de que ela fabrica informações que aquietam a sociedade por determinado período. Mas é incrível como ela é importante para o país, para o mundo e como os donos dos conglomerados de comunicação não valorizam isso como deveriam.

Estamos vivendo tempos onde há excesso de informações, estudos indicam que as novas informações adquiridas em 2010, são as mesmas acumuladas nos últimos 5 mil anos. Portanto, mudanças devem ser feitas, a começar pelo tipo de notícia veiculada, já que a imprensa, no meu modo de ver, tem um papel vital na remodelação cultural de nossa sociedade. De nada adianta um enxurrada de informações, sendo que em seguida ela é encoberta por outra enxurrada. Um padrão mais linear deveria ser aplicado, pois assim, consequentemente, não seríamos taxados como povo sem memória.

Evidentemente, há interesses entre a mídia e principalmente a política, aí é que entra a outra parte da falada remodelação cultural da sociedade. A parte do povo. Somente deixando de ser um povo passivo, vamos mudar o atual cenário, onde ciclos de impunidade se repetem. Unindo as informações e denúncias da imprensa com a ação da sociedade, podemos deixar de ser parasitas em frente à televisão e fazer uma troca com a imprensa onde um colabora com a mudança e evolução do outro.


sexta-feira, 2 de julho de 2010

Mais uma vez fica a pergunta: Quando vamos para frente?

Como nosso país é bom e como somos ignorantes...

Hoje, 02/07/2010, dia de jogo de nossa Seleção Nacional e o povo todo animado pelas ruas com suas camisetas, fantasias, instrumentos etc. mas ninguém ainda se deu conta do tapa que os nossos governantes estão dando na cara de uma população estimada em 190 milhões de brasileiros.

É, poderia usar este espaço para falar do que seria comum nesta data, mas não, prefiro debater aqui, o que julgo importante para nós e, em mais uma conversa com amigos, me senti na obrigação de discutir o tema.

Não é de hoje que pensamos que um dia nosso país vai para frente, essa é uma situação recorrente e, segundo o relato de um amigo mais velho que eu (o que da a sensação de maior extensão de tempo), seu bisavô já dizia: - Eu posso não ver, mas você verá o Brasil tomar um jeito! E essas frases são proferidas de geração a geração, sendo que nada muda.

Quando lia as notícias do dia, me bateu um sentimento de revolta quando soube que o nosso "digníssimo" senhor Gilmar Mendes, ministro do Supremo Tribunal Federal, deu a primeira liminar contra a Lei da Ficha Limpa (projeto de lei sancionado em junho que estabelece inegibilidade de políticos com qualquer condenação judicial). Ou seja, todo o pensamento em relação à melhora de nosso país, foi mais uma vez barrado pelos ditadores mascarados que nos governam.

Penso que na realidade nunca conquistamos a democracia, apenas vivemos em tempos de uma ditadura maquiada. Não precisamos ser muito inteligentes para saber que todos os políticos com restrições judiciais vão entrar com os devidos recursos e vão conseguir se candidatar, o que representa uma regressão a um pequeno, mas importante, primeiro passo que tínhamos conseguido dar rumo a um país sem corruptos no comando.

Eu, sinceramente, fico desanimado em relação às perspectivas do nosso país. Nosso povo se contenta com muito pouco e nossos governantes fazem o que querem, pisando nas leis, quebrando regras sem o menor escrúpulo e aviltando a nossa Bandeira e o nosso povo. Mas como um bom brasileiro, eu prefiro acreditar e dar minha pequena parcela para que esse cenário seja alterado.

agradecimento: Celso D'Arcke.